Conheça a calculadora do cidadão e não seja enganado na hora de pagar

0
326

O consumidor é sempre a parte mais fraca na sua relação com o fornecedor, o que juridicamente conhecemos como hipossuficiente. Essa desvantagem se dá por não ter na prática condições financeiras, econômicas e técnica em relação ao fornecedor. Buscando amenizar essa distorção, o Código de Defesa do Consumidor, prevê uma relação de direitos que devem ser atendidos, dentre eles o direito à informação.

A previsão legal ressalta que o consumidor deve ser educado e informado sobres os seus direitos e deveres, com vista à melhoria do mercado consumo de acordo com o artigo 4˚, IV, CDC. E essa informação deve ser adequada e clara sobre os diferentes produtos e serviços, com especificação correta de quantidade, características, composição, qualidade, tributos incidentes e preços, bem como sobre os riscos que o produto ou serviço apresentem.

O direito à informação vai além, a ponto de vincular o fornecedor, nos termos do artigo 30 do Código de Defesa do Consumidor: Toda informação ou publicidade, suficientemente precisa, veiculada por qualquer forma ou meio de comunicação com relação a produtos e serviços oferecidos ou apresentados, obriga o fornecedor que a fizer veicular ou dela se utilizar e integra o contrato que vier a ser celebrado”.

Desta forma, fiquem atentos e exijam seus direitos e, principalmente, todas as informações antes de consumir qualquer coisa. O consumidor tem o direito à informação correta e completa sobre qualquer produto ou serviço.

É primordial ensinar aos consumidores seus direitos, isso porque entendemos que os cidadãos com conhecimento são mais capazes de se impor e de fazer exigir seus direitos.

Um dos mecanismos para ajudar o consumidor na busca de mais informações na hora das compras, especialmente sobre os juros que possivelmente pagará, destacamos a ferramenta calculadora do cidadão, um aplicativo para celular e tablets disponibilizado pelo Banco Central do Brasil.

Essa ferramenta ajuda o consumidor a calcular os juros reais em suas compras, a verificar qual o melhor tipo de empréstimo – rotativo do cartão de crédito, cheque especial ou CDC; calcula a correção de valores com base em vários índices oficiais, como TR e a SELIC e ajuda a calcular investimentos e quanto tempo e valor mensal precisa poupar para obter o resultado pretendido.

A Calculadora do Cidadão funciona como um simulador comum de investimentos ou dívidas. Sempre que você tiver uma dúvida a respeito das melhores opções para sua vida financeira, pode recorrer à calculadora – seja no site ou no aplicativo desenvolvido para ela.

Outra grande vantagem da Calculadora do Cidadão é a possibilidade de download do seu aplicativo. Ele está disponível para sistemas operacionais iOS, Android e Windows Phone. O aplicativo é razoavelmente pequeno e seu uso é bastante prático. Não há nenhum custo para seu uso, e ele é livre de propagandas. Baixe o aplicativo em seu celular ou acesse o site do www.bcb.gov.br.

Dessa maneira o consumidor pode se educar e evitar superendividamentos, bem como que seja enganado principalmente na compra de produtos parcelados.

Sérgio Augusto Costa da Silva por uma Sociedade Justa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui